06/09/2017 15h03

Bolsistas vão atuar nos bairros atendidos pelo Ocupação Social no interior do Estado

A Secretaria de Estado de Direitos Humanos (SEDH), coordenadora do Programa Ocupação Social, realizou nesta semana uma reunião com os bolsistas selecionados para atuarem na Pesquisa de Monitoramento e Avaliação das Ações do Programa Ocupação Social no interior do Espírito Santo. A ação prevê uma maior aproximação com a comunidade para que as ações executadas nos bairros sejam melhor avaliadas.

“A pesquisa é de grande importância para o desenvolvimento das atividades do Ocupação Social. Através dela nós poderemos identificar particularidades de cada uma das comunidades, facilitar nosso engajamento com elas e ver como nossas ações estão sendo recebidas e avaliadas”, declarou o secretário de Estado de Direitos Humanos, Julio Pompeu.

Formação

Durante a reunião, os bolsistas tiveram a oportunidade de conhecer as ações do Programa Ocupação Social, apresentadas pelo secretário Julio Pompeu e pela equipe da SEDH. Eles também foram apresentados aos resultados da pesquisa anterior, realizada em 2015, ao manual dos bolsistas e aos questionários que serão usados para coletar informações nos bairros.

O trabalho da pesquisa será realizado num período de 12 meses. Ao todo, nove bolsistas foram selecionados para atuar em oito comunidades atendidas pelo programa no interior do Estado. A intenção é de monitorar e avaliar as ações do Ocupação em cada um dos bairros, além de testar técnicas de engajamento com os jovens.

A concessão de bolsas foi realizada por meio de uma parceria entre a Secretaria de Estado de Direitos Humanos (SEDH), o Instituto Jones do Santos Neves (ISJN) e a Fundação de Amparo e Apoio à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes).

Ocupação Social

O Programa tem como principal objetivo reduzir os índices de homicídio entre os jovens, que historicamente representam 40% das vítimas de crimes contra a vida, no Espírito Santo.

São 25 bairros atendidos, entre Grande Vitória e interior, identificados como áreas de alta vulnerabilidade. Para mudar essa realidade, o Ocupação Social busca levar novas oportunidades ao público jovem, a exemplo de cursos profissionalizantes, de ações de promoção e formação em empreendedorismo, junto com projetos de geração de renda, acompanhados de atividades culturais e esportivas. Já são 10 mil oportunidades confirmadas para o ano de 2017.


Informação à Imprensa

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Direitos Humanos – SEDH
Suellen Barone / Maurílio Mendonça
E-mail: suellen.barone@sedh.es.gov.br / maurilio.mendonca@sedh.es.gov.br 

Texto: Caio Fassarella

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard