24/08/2018 14h25

14ª Edição do Prêmio Dom Luís homenageia pessoas e instituições

A 14ª Edição do Prêmio Dom Luís Gonzaga Fernandes, realizada nessa quinta-feira (23), no Palácio Anchieta, homenageou quatro instituições e três pessoas por seus trabalhos prestados em prol da defesa dos direitos humanos e do meio ambiente.

Durante o evento, o governador Paulo Hartung elogiou os homenageados e reforçou a importância da premiação. “Foi um grande acerto que fizemos ao instituir esse prêmio. Com ele, estamos prorrogando a presença de Dom Luís entre nós e permitindo que as novas gerações conheçam o exercício de liderança religiosa cidadã nas terras capixabas. Nesta edição, estamos valorizando dois líderes religiosos que estiveram entre nós, além de militâncias sociais em defesa de equilíbrio do planeta. Uma diversidade de homenagens espetacular. Isso é fantástico”, exclamou o governador Paulo Hartung.

Segundo o secretário de Estado de Direitos Humanos, Leonardo Oggioni, o trabalho da Secretaria de Estado de Direitos Humanos é pela garantia, proteção e promoção de todo e qualquer direito de qualquer pessoa, por meio de políticas públicas em prol das causas das mulheres, das pessoas com deficiência, dos negros, dos indígenas, da população em situação de rua, dos LGBTs, das crianças, dos jovens, dos idosos e de tantos outros. Dedicação também seguida por cada um dos vencedores da 14ª edição do Prêmio Dom Luís Gonzaga Fernandes.

“A todos os homenageados deste ano, os meus parabéns. Suas lutas para garantir que cada ser humano seja tratado com dignidade, respeitado em suas diferenças e acolhido em suas dificuldades estão sendo, mais uma vez, reconhecidas aqui hoje. Agradeço a vocês e continuem trabalhando pela construção de uma sociedade mais justa e igualitária. Muito obrigado!”, completou Oggioni.

 

História

O prêmio foi instituído por meio da Lei Estadual 7.844/04 e em homenagem a Dom Luís Gonzaga Fernandes, bispo auxiliar de Vitória durante o período de 1966 a 1981. Falecido em 2003, Dom Luís foi uma figura importante, que dedicou sua vida à luta para a redução das desigualdades sociais, pela defesa dos menos afortunados e pela valorização da mulher na igreja e na sociedade.

 

Conheça os homenageados

- Pastor Oliveira de Araújo

Nascido no interior de Minas Gerais, o pastor Oliveira de Araújo é referência não só no Estado, como em todo o país. Conhecido por suas pregações, Oliveira trabalhou evangelizando tribos indígenas. Além disso, exerceu importante papel no processo de reconstrução das instituições públicas do Espírito Santo e se dedicando à defesa de formação de novas lideranças. Foi secretário-executivo da Junta de Missões Nacional e presidente da Convenção Batista do Estado. Em 2017 foi empossado membro do Conselho Estadual de Ética.

 

- Pastor Noberto Berger

Capixaba, o líder religioso assumiu a paróquia de Santa Maria de Jetibá, em 1968, logo após atuou em outras duas paróquias no Espírito Santo. Atuou na luta pela defesa da vida e pela dignidade humana. Em 2000, juntamente com outras lideranças, liderou um grande fórum de combate à corrupção, ao crime organizado e à violência.

 

- Maria Clara da Silva

Líder do Movimento Nacional de Luta por Moradia (MNLM) do Estado, ela sempre teve envolvimento em defesa dos menos favorecidos, em especial dos sem-teto. Nascida em Aimorés- MG, Maria Clara continua ativa, atuante e líder, já tendo participado de todos os conselhos de habitação.

 

- Associação Ambiental Voz da Natureza

Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – OSCIP foi fundada em 2003 por estudantes. A instituição busca promover a conservação da diversidade biológica e sociocultural, contribuindo para uma interação harmônica entre a sociedade e o meio ambiente. Entre as atividades realizadas, destacam-se as pesquisas científicas e diagnósticas ambientais.

 

- Associação de Moradores de Palmeiras (AMOP) de Mimoso do Sul

Formada em 1992, a associação é reconhecida pelo modelo de agricultura sustentável que desenvolve. A comunidade atua na captação de recursos e mantém uma rede de entidades apoiadoras, além da implantação da Unidade de Produção de Café Especial em parceria com a Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia, Inovação e Educação Profissional (SECTI).

 

- Federação das APAES do estado do Espírito Santo (FEAPAES)

Com a missão de oferecer um serviço de excelência às pessoas com deficiência intelectual e múltipla, a FEAPAES foi fundada em 1992, e é uma sociedade civil, filantrópica, de caráter educacional, cultural, assistencial, de saúde, de estudo e pesquisa, desportivo e outros, sem fins lucrativos.

 

- Projeto Tamar – Vitória (ES)

Criado em 1980, o projeto é reconhecido internacionalmente como uma das mais bem-sucedidas experiências de conservação marinha, sendo modelo para outros países, sobretudo porque envolve as comunidades costeiras diretamente no seu trabalho socioambiental, como o de Vitória, que se localiza próximo à Colônia de Pescadores da Praia do Suá, fazendo parte também do crescimento turístico e cultural do local. As atividades são organizadas em conservação e pesquisas aplicadas, educação ambiental e o desenvolvimento sustentável.

 

Informação à Imprensa
Assessoria de Comunicação da Secretaria de Direitos Humanos – SEDH
Suellen Barone / Maurílio Mendonça
E-mail: suellen.barone@sedh.es.gov.br / maurilio.mendonca@sedh.es.gov.br

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard